Advogado da Póvoa de Varzim é o quarto suspeito de assalto violento em Ribeirão

Um advogado foi detido ontem pela PSP de Lisboa por ser o alegado mandante de um assalto violento, que ocorreu no passado mês de novembro numa residência na freguesia de Ribeirão, e de onde terão sido levados cerca quase 16 mil euros em dinheiro e objectos em ouro no valor de 30 mil euros. No âmbito da investigação em curso desde a data do crime, a polícia conseguiu “localizar e recuperar praticamente todas as jóias e relógios que haviam sido roubadas às vítimas”.

O referido advogado foi detido ontem, pelas autoridades, na casa onde reside, na cidade vizinha da Póvoa do Varzim.

Em comunicado, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP confirma a detenção do homem de 44 anos, por suspeita da prática do “crime de roubo a residência com recurso a arma de fogo”.

De acordo com a mesma polícia, esta é já a quarta detenção relacionada com o roubo ocorrido naquela freguesia do concelho de Vila Nova de Famalicão. Dois dos suspeitos, de 36 e 34 anos de idade, foram interceptados pela PSP logo no dia seguinte, quando circulavam na A1. Os agentes conseguiram deter os dois suspeitos através de uma barricada montada em Alverca. Entretanto, no passado mês de Abril, foi detido um terceiro suspeito, este de 32 anos, no centro da cidade de Lisboa.

De acordo com a PSP, “no âmbito de uma investigação, foi possível apurar que os detidos teriam conjugado esforços para realizar um assalto na zona norte do país, em novembro do ano passado”, e que, “para tal, parte dos detidos deslocou-se a Vila Nova de Famalicão, tendo, através de ameaça de arma de fogo, sequestrado e amordaçado duas vítimas que se encontravam na sua residência”. Recorrendo a “agressões, obrigaram uma das vítimas a fornecer o código de acesso ao cofre de onde subtraíram jóias e relógios valorizados em dezenas de milhares de euros e ainda cerca de 16 mil euros em dinheiro”. A polícia confirma as agressões violenta e descreve mesmo que “para obterem os seus intentos provocaram a uma das vítimas uma fratura no maxilar que obrigou a vários dias de internamento hospitalar”.

No âmbito da detenção dos dois primeiros suspeitos do assalto àquela residência de Ribeirão, a PSP efectuou buscas às suas residências, onde apreendeu duas pistolas de calibre 6,35 mm; um revólver; duas caçadeiras; 3990 euros em notas; e ainda 1232 doses de heroína. Os dois homens estão em prisão preventiva desde novembro passado a aguardar julgamento.

O terceiro indivíduo detido havia fugido para o estrangeiro no rescaldo do roubo, no entanto o regresso permitiu a sua detenção a 20 de abril último. Está igualmente em prisão preventiva.

Já o quarto detido, advogado de profissão, e que conheceria as vítimas, as suas rotinas e a existência de objectos de valor da residência, aguarda ainda no Tribunal a aplicação da medida de coação.

As vítimas do assalto, um casal na casa dos 60 anos, terão sido surpreendidas em casa por quatro indivíduos armados e encapuzados que terão exigido o acesso ao cofre da casa. O grupo terá trancado a mulher num dos compartimentos da casa, e enquanto isso agrediram de forma violenta o marido, que terá resistido a dar o segredo do cofre. Acabou por ceder, no entanto, e os indivíduos acabaram levando consigo cerca de 16 mil euros, e objectos em ouro no valor de 30 mil euros, recuperados quase na totalidade.

Data de Publicação: Voltar à Página Anterior


Siga-nos

Última Edição!